Pro Dia Nascer Feliz

“Minha terra porventura merece tal descrição
Lá a vida é menos dura, qualquer um lhe estende a mão
O céu é menos cinzento, lá não tem poluição
Só existe um argumento que me parte o coração
Ver o povo madrugar e seguir para o roçado
Mas se a chuva não chegar perde o que se foi plantado.

Eu agora exilada, só me resta descrever
Aqui não encontro nada que me motive a viver
Mas falar da minha terra, ah, isso me dá prazer
E mesmo aqui tão distante tenho algo para pedir
Quero agora neste instante voltar para Manari.
Pois não quero morrer sem antes lá me despedir.”

Esse poema é de uma adolescente chamada Valéria. Ela mora em Manari, uma das cidades mais pobres do Brasil localizada em Pernambuco.
Quando seus professores aplicavam redação não consideravam como nota os textos que Valéria fazia por acharem que ela tinha copiado de algum livro. Os professores não acreditavam na capacidade da menina simples de Manari, minimizando uma excelente poeta.

O documentário “Pro Dia Nascer Feliz” mostra os desafios da adolescência, essa fase de inquietações, sonhos, duvidas e uma busca de identidade. Também mostra um pouco do cenário da educação no Brasil: cidades onde a infra-estrutura é precária nas escolas e no acesso ao ensino. Professores discutindo de uma forma superficial que destino dar para alunos “problemáticos”, como se estivessem falando de qualquer coisa. Alunos dispostos a aprender, e a falta de professores. Professores desmotivados por falta de valorização dos alunos e da sociedade. A pressão de ter boas notas no ensino privado. Problemas de violência, preconceito, criminalidade, desigualdade social, etc. Professores e alunos vítimas desse sistema educacional emburrecedor que existe no país.
Definido pelo próprio diretor João Jardim como “um diário de observação da vida do adolescente no Brasil em seis escolas”, o documentário flagra o dia-a-dia e adentra a subjetividade de alunos e professores de Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro.

Me entusiasmei vendo essas cenas de pequenos brasileiros criando e fazendo arte. Apesar da realidade educacional no Brasil e da fama de ser um país onde produz muita porcaria, existem pessoas simples e criativas que estão dispostas a aprender e mudar. Na maioria  das vezes elas não são valorizadas nem vistas, e tem uma difícil realidade em volta, mas produzem riquezas. Gente com esperança lutando por uma educação mais digna, por uma vida mais digna.
Como diz a filósofa Viviane Mosé “O Homem precisa de algum conhecimento pra sobreviver, mas pra viver precisa da Arte.”

(O filme foi realizado entre abril de 2004 e outubro de 2005. Quem quiser e puder assistir recomendo. http://www.youtube.com/watch?v=uxEQhcZNHfM)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s